Como o visto EB-5 EUA se tornou tão importante

O visto EB-5 foi criado nos anos 1990 com o intuito principal de promover o desenvolvimento econômico em áreas mais pobres dos Estados Unidos, além de atrair investimentos estrangeiros para o país. Durante essa década os EUA passavam por um marcante período de expansão econômica, com um crescimento médio de 3,6% ao ano, entretanto como observou Karl Marx, o capitalismo é marcado por crises, e a história nos mostrou que é verdade.

No início dos anos 2000 os EUA passaram por um período de menor crescimento econômico devido à bolha da internet. Logo depois veio o atentado às Torres Gêmeas, que aliviou, ironicamente, as tensões econômicas do país, uma vez que a indústria de guerra começou a lucrar com a Guerra ao Terror. Entretanto, mais uma vez uma crise atingiu os Estados Unidos, agora com a Crise do Subprime, em 2008. O impacto dessa crise essencialmente financeira na economia americana impactou o mundo inteiro devido à sua força e dimensão, entretanto os EUA vêm se recuperando rapidamente, criando mais empregos e partindo agora para um novo ciclo econômico.

empregos nos EUA

Há estudos, entretanto, que apontam que o mercado de trabalho dos Estados Unidos tornou-se gradualmente menos dinâmico desde 1990, com trabalhadores presos em empregos particulares e um processo mais lento de criação e eliminação de vagas no setor privado.

Um estudo revelado em 2014, realizado pelos economistas Steven Davis, da Universidade de Chicago, e John Haltiwanger, da Universidade de Maryland, apresentou os EUA como um país que possivelmente está perdendo uma de suas notáveis forças econômicas: a rotatividade de emprego e o robusto fluxo de trabalhadores entre postos de trabalhos. Como em todas as economias, o trabalho é o melhor indicador da saúde econômica de um país e, portanto, é um ponto de preocupação para qualquer governo.

Neste sentido, o Visto EB-5 é bem-visto nos Estados Unidos tanto pelo governo quanto pela oposição, pois é um mecanismo eficiente de criação de empregos e geração de renda em áreas de menor desenvolvimento, o que alivia algumas pressões sociais de forma direta. Mesmo que os aplicantes interessados em obter o Green Card optem por criar uma nova empresa fora das chamadas TEAs, a captação de recursos estrangeiros será volumosa e ainda assim haverá geração de renda, pois a criação de dez empregos é um requisito tanto para aportes diretos quanto indiretos, dentro ou fora das TEAs.

Nos últimos anos, o Visto EB-5 tem ganhado maior visibilidade ao redor do mundo principalmente porquê os Estados Unidos tem se mostrado o lugar de maior estabilidade política e econômica para aplicantes com capital suficiente para fazer o aporte mínimo. Há aqui um destaque especial para aplicantes asiáticos, dos quais apenas os chineses representam mais de 80% de todas as solicitações deste visto.

A quantidade de capital entrando nos Estados Unidos em troca do Green Card para poucas famílias têm sido cada vez mais relevante, e esse é um programa que só tende a crescer. Para saber mais sobre como fazer o EB-5 para você e sua família, entre em contato com a LCR e converse com o nosso time, que pode te explicar como é o projeto, o processo, quais são as documentações adequadas e muito mais.

No Comments

Post A Comment