fbpx
 

Sistema Educacional de Portugal: entenda como funciona

Os motivos que tornam Portugal o destino ideal para muitas pessoas, seja em Lisboa, Porto, Braga, Coimbra, ou qualquer outra cidade, são muitos, desde a segurança, qualidade da educação, novas oportunidades de emprego, custo de vida, entre outros.

A busca por possibilidades de estudar fora do país de origem e viver uma experiência de ensino multicultural para construir um currículo diferenciado é o objetivo de muitos estudantes, não só para aqueles que pretendem fazer um curso completo, mas também para quem pretende complementar os estudos com especializações, pós-graduações, mestrados e doutorados.

Sistema de Educação em Portugal

O Sistema Educativo português é regulado pelo Estado através do Ministério da Educação e do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior. O sistema de educação público é o mais usado e melhor implementado, existindo também escolas privadas de excelente qualidade em todos os níveis de educação. A qualidade do ensino de Portugal é extremamente elevada, em que a taxa de alfabetização é de 95% e as matrículas no ensino básico são próximas de 100%.

O ano letivo português começa na metade do calendário, e esse sistema diferente de ensino em Portugal se deve às estações do ano, pois o verão europeu vai de junho a agosto. Dessa forma, o primeiro semestre do ano letivo começa no mês de setembro e vai até janeiro do ano seguinte. O segundo semestre continua de fevereiro a junho, e por conta dos meses de verão europeu, as férias escolares vão de junho a setembro. Além das férias, existem recessos de natal e ano novo, e outros feriados.

As escolas não são totalmente gratuitas em Portugal. Nas escolas públicas, por exemplo, os pais devem pagar pela alimentação e pelos materiais didáticos de seus filhos, mas dependendo da condição financeira da família, é feito um acordo e parte dos custos com os livros é devolvido.

Um ponto importante é que apenas 20% dos estudantes estudam em escolas privadas, já que em Portugal a rede pública tem um ensino de excelência. Para matricular uma criança na rede pública de Portugal, é necessário buscar a escola mais próxima da sua moradia, tendo em vista que lá não existe a opção de escolher qual escola pública deseja matricular. É preciso entrar no site da Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares (DGEstE) e encontrar uma lista de todas as escolas da região.

Ao se tratar de famílias internacionais, alguns requisitos são necessários para a matrícula de crianças a partir de 3 anos, como Número de Identificação Fiscal (NIF) e passaporte da criança e do responsável, seguro saúde, comprovativo fiscal de morada, carteira de vacinação transcrita para carteira de vacinação de Portugal para declarar que a vacinação da criança está em dia, e uma solicitação de credencial requerida no Centro Nacional do Apoio ao Imigrante (CENAI), que dará o direito à criança de nacionalidade terceira à integrar a escola portuguesa. Crianças a partir de 6 anos, precisarão de todos esses documentos, exceto a credencial do CENAI. Se a criança já iniciou a atividade escolar no país de origem, antes de vir para Portugal, deverá solicitar à escola o histórico escolar, com a assinatura da diretoria reconhecida em cartório e apostilado.

Nas escolas particulares, as mensalidades variam entre 500 – 800 euros, e geralmente as crianças recebem na escola um bom ensino em línguas e terminam os estudos falando fluentemente inglês e mais um idioma (geralmente alemão ou francês).

Ambas as escolas funcionam em horário integral e possuem ótima infraestrutura para os estudantes praticarem atividades físicas e lúdicas.

O sistema de ensino no país é dividido em diferentes níveis, mais especificamente, em quatro categorias: Infantário, Básico, Secundário e Superior, em que o Ensino Superior não faz parte da escolaridade obrigatória.

Infantário

Com um ciclo de frequência opcional dos 3 aos 6 anos de idade (idade de ingresso na escolaridade obrigatória), existem poucas vagas no infantário, seja ele público ou privado. Para conseguir uma vaga em creches públicas, por exemplo, é necessário cadastrar a criança e entrar em uma fila de espera. No caso das creches particulares, a mensalidade pode variar em torno de 150-300 euros e os pais precisam passar por uma entrevista com os profissionais, podendo ou não ser aceitos pela unidade de ensino. A abertura de vagas, geralmente, acontece em setembro, mas desde janeiro já é possível fazer inscrições.

Ensino Básico

O sistema obrigatório de ensino português é dividido em três ciclos sequenciais. A criança inicia os estudos com 6 anos e passa por 12 anos de estudo no total.

Em termos de estrutura, o Ensino Básico em Portugal é divido da seguinte maneira:

  • 1º ciclo (1º ao 4º anos de escolaridade), idade esperada de frequência, dos 6 aos 10 anos de idade; 
  • 2º ciclo (5º e 6º anos de escolaridade), idade esperada de frequência, dos 10 aos 12 anos de idade;
  • 3º ciclo (7º ao 9º anos de escolaridade), idade esperada de frequência, dos 12 aos 15 anos de idade.

Os alunos do 1º ciclo precisam cumprir uma carga horária de 25 horas semanais. Já no 2º e no 3º, a carga horária passa a ser de 30 horas semanais. As aulas costumam ir das 9h às 15h30.

Além das escolas regulares, o país tem muitas instituições internacionais que reúnem alunos de várias nacionalidades. As escolas internacionais em Portugal tem bastante destaque na rede privada com instalações de alto padrão, turmas reduzidas, atividades extracurriculares e bilíngue. As escolas internacionais oferecem um variado currículo escolar com escolas inglesas, norte-americanas, francesas, entre outros. Alguns grandes nomes de escolas espalhadas por Portugal são: St. Peter’s School, The Cascais International School, St Julian’s School, Carlucci American International School of Lisbon, International Preparatory School, etc.

Ensino Secundário

Segue-se o Ensino Secundário, que corresponde a um ciclo de três anos, (idade esperada de frequência, dos 15 aos 18 anos de idade), que inclui cinco tipos de cursos:

– Científico-humanísticos;
– Profissionais;
– Artísticos especializados;
– Cursos com planos próprios;
– Aprendizagem.

Quando o estudante completa esta fase, os alunos estão habilitados para ingressarem na graduação, que em Portugal é chamada de licenciatura.

Ensino Superior

Direcionado aos alunos que completaram com sucesso o Ensino Secundário ou que possuem uma qualificação legalmente equivalente, Portugal, assim como mais 29 países da europa, está estruturado de acordo com os princípios do Tratado de Bolonha, que determina que os cursos do Ensino Superior devem ter duração de três anos.

O ensino em Portugal é binário, dividido em duas modalidades. A primeira é a modalidade lecionada nas universidades clássicas, voltada mais para pesquisas e investigação científica. O outro é o sistema de ensino de institutos politécnicos, que são cursos mais voltados para a prática, para o saber fazer.

Todas as faculdades em Portugal são pagas, ou com o financiamento privado ou com o financiamento do Estado. ​​A diferença sobre quanto custa estudar em Portugal em universidades privadas está no fato de que, de forma geral, não há diferença entre o valor pago pelos portugueses e por estrangeiros, pois as instituições não contam com subsídio do governo, já as universidades públicas sim. Outra distinção é que o pagamento anual da universidade pode variar segundo o número de créditos ou disciplinas cursadas.

As universidades portuguesas são muito prestigiosas e ocupam altas posições nos principais rankings educacionais do mundo, com destaque para as áreas de medicina, engenharia, enfermagem e arquitetura.

Depois disso, é possível fazer um mestrado, cuja duração varia de um ano e meio a dois anos. E o doutorado, que em Portugal se chama doutoramento, chega a três anos de estudo.

No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.