The Roles of Investment Brokers and Advisors Explained

Ao escolher investimentos no exterior, os investidores precisam avaliar os próprios objetivos financeiros, sua tolerância ao risco e a integridade do projeto escolhido. Para isso, eles precisam de profissionais com experiência em consultoria. Para investir nos Estados Unidos, é necessário escolher entre dois tipos de profissionais: corretores ou consultores registrados (Registered Investment Advisors — RIAs). De acordo com Ana Elisa Bezerra, Diretora Sênior da LCR Capital Partners, ambos têm suas vantagens, mas o nível de especialização, consultoria e responsabilidades difere de maneira significativa. Os corretores conhecem bem o cenário, mas ganham comissões pelos projetos que recomendam — comissões que não precisam ser divulgadas até que a transação seja concluída, podendo até mesmo influenciar os investidores sobre qual direção seguir. Os corretores cumprem um “padrão de adequação”, o que significa que suas recomendações devem ser adequadas à situação financeira dos clientes, mesmo que não estejam necessariamente alinhadas aos benefícios. Em contrapartida, os RIAs cobram taxas independentes das recomendações, geralmente de 1% a 2% do valor do projeto. Eles estão vinculados ao seu “dever fiduciário” em relação ao cliente, no sentido de que devem fazer recomendações vantajosas para os clientes, não agindo em benefício próprio. Isso significa que é menos provável que orientem os investidores para determinados projetos. Ana observa casos em que seja preferível optar por corretores, mas ao avaliar como um projeto específico se enquadra na integridade geral dos investidores, talvez seja preferível contratar um RIA.

Leia o artigo aqui.

No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.