fbpx
 

O que é o novo Startup Visa?

O novo visto de investidor para os EUA, que está sendo chamado de Startup visa, vem cumprir algo que era esperado do governo de Barack Obama: criar oportunidades para empreendedores e negócios de todo o mundo crescerem nos Estados Unidos.

O programa consiste em conceder visto por até 5 anos para empreendedores estrangeiros, possibilitando que eles possam viver nos EUA por tempo suficiente para escalar seu negócio – criando, assim, oportunidades para crescer em uma das maiores economias do mundo.

Para quem tem uma startup, esse visto é uma alternativa a programas tradicionais para obter o Green Card, como o E-2, limitado a países que têm acordos bilaterais como os EUA (o que não é o caso do Brasil) e o EB-5, conhecido como o mais sólido programa de visto para o caminho para obter o Green Card.

O que é necessário para obter o startup visa?

Não é simplesmente qualquer boa ideia de negócio que se qualifica para o novo visto de investidor dos EUA.

Para ser um candidato ao visto, é necessário abrir uma empresa societária no país. O candidato elegível deve comprovar pelo menos 15% de participação na empresa e um papel central ativo no negócio – em outras palavras, deve estar dedicado a ele.

A startup também deve ter levantado aportes de pelo menos US$ 345 mil, de aplicantes privados americanos, ou US$ 100 mil de incentivos governamentais, sejam eles federais, estaduais ou municipais. Também precisa mostrar o potencial de crescimento do negócio, geração de empregos e benefícios para os EUA.

Com tudo isso em ordem, o candidato ao visto deve entrar com uma petição para o governo americano que, se aprovada, concederá o visto por dois anos, com possibilidade de prorrogação por até 5 anos.

Vantagens do novo visto de investidor
Esse tipo de visto cria uma excelente oportunidade para que startups brasileiras possam crescer internacionalmente, permitindo que empreendedores daqui encontrem aplicantes e mercado em um país que concentra maiores oportunidades de negócios.

Além de serem uma das maiores potências econômicas mundiais, os Estados Unidos são uma verdadeira vitrine para o mundo. Nesse sentido, o Startup Visa vai facilitar com que empreendedores brasileiros possam aportar nesse país, morando legalmente, sem ter que buscar outros tipos de visto tradicionais.
Outra vantagem é permitir que os recursos venham de aplicantes, e não de renda pessoal do candidato ao visto, o que é adequado ao perfil de diversos novos empreendedores.

As desvantagens do Startup Visa

O novo visto é excelente para quem já tem um negócio em fase de prospecção de investidores. Mas, para qualquer outra situação, ele não é a solução indicada. Como nem tudo são flores, existem também limitações para o Startup Visa.
A primeira limitação é que é um visto de não imigrante e, como tal, temporário. Para quem pretende viver permanentemente nos EUA, não é uma boa opção.
Segunda limitação: está atrelado ao sucesso do negócio – em outras palavras, se o crescimento contínuo não for comprovado, a renovação no período de 2 anos não vai acontecer.
Terceira, exige total comprometimento com o negócio, desde a captação de aportes. Portanto, o Startup Visa foi feito sob medida para atender exclusivamente empreendedores que estão dedicados ao negócio.

Como obter o Green Card para os EUA?

Para quem busca estabilidade vivendo nos EUA, a melhor opção ainda é o visto EB-5. Esse programa concede o Green Card para pessoas que aportam US$ 500 mil em um negócio gerador de empregos no país, assim como para os familiares diretos (Cônjuge e filhos solteiros menores de 21), criando o caminho mais direto para a residência permanente.

Diferente do Startup Visa, o EB-5 não é considerado temporário e nem exige a participação do aplicante na gestão do negócio. Assim, é possível usar o Green Card para aportar na carreira que melhor se adapta ao seu perfil. Inclusive a de empreendedor.

Saiba mais sobre o EB-5.

No Comments

Post A Comment