fbpx
 

Por que o EB-5 é melhor para conseguir o Green Card?

Se você já fez alguma pesquisa sobre morar nos Estados Unidos, ou pelo menos leu alguns artigos sobre o tema, provavelmente já ouviu dizer que o programa EB-5, que concede o visto EB-5, é a melhor maneira de conseguir o Green Card. Mas você sabe exatamente quais os fatores que fazem dessa a opção mais simples e efetiva?

Fizemos um apanhado, comparando o EB-5 com as exigências, limitações e processos de outros tipos de visto, assim como os benefícios e possibilidades de cada um deles.

Como conseguir o Green Card

As formas mais comuns de se conseguir o Green Card para viver nos Estados Unidos são: o visto de trabalho (H1B), de transferência (L1), de investidor (EB-5 e E-2), de noivos (K1) e a loteria do Green Card.

Outros tipos de visto comuns, como os de estudante e de turista, não levam ao Green Card, a não ser que você consiga um trabalho que possibilite a mudança para o visto H1B após os estudos.

A loteria é provavelmente o processo mais simples para se conseguir o Green Card. Todos os anos, o governo dos EUA sorteia um número de pessoas que vão receber esse visto para a imigração. Mas tem um problema: brasileiros não são elegíveis para o sorteio.

Quanto aos demais, o visto E-2 não concede o Green Card, e precisa ser renovado periodicamente. O visto K1 permite, após o casamento, que o cônjuge americano entre com o pedido de Green Card provisório; enquanto os vistos de trabalho e transferência (H1B e L1) não têm um processo automático. A entrada no processo deve ser feita após um período vivendo legalmente nos EUA, e dependem das renovações desses vistos – um risco que o solicitante deve correr.

Vantagens e limitações de cada visto

Embora diversos vistos sejam caminho para o Green Card, cada um deles oferece condições e limitações diferentes, algumas relacionadas à família.

O H1B, por exemplo, é vinculado à empresa contratante (sponsor), e tanto a renovação quanto o pedido de imigrante devem ser solicitados por essa empresa. Esse visto precisa ser renovado todo ano, por até 6 anos. A vantagem é que ele permite que cônjuge e filhos de até 21 anos vivam legalmente nos EUA, sob o visto H4, que também dá acesso ao sistema de ensino nas mesmas condições de um imigrante. Porém, os familiares não podem trabalhar no país.

Já o L1, concedido a executivos de empresas que aportam em abrir operações significativas nos EUA, permite que o cônjuge trabalhe legalmente nos Estados Unidos, sob o visto L2. No entanto, há uma forte limitação: ao contrário o H1B, que permite trocar de emprego em um prazo determinado, o L1 é exclusivamente vinculado ao sponsor – ou seja, se perder o trabalho, o visto também é cancelado. Além disso, é um dos que mais tem a renovação negada.

Quanto aos vistos de investidor, o E-2 é o que requer um aporte de menor valor e tem alta taxa de aprovação. Mas, para os brasileiros, ele não se aplica: só funciona para quem tem a cidadania de um dos países que têm acordo com os EUA, como Itália e Alemanha. Outra limitação importante do E-2 é que os filhos, assim que completam 21 anos, perdem a autorização para residir nos EUA. O visto também exige que o aplicante participe ativamente na gestão do negócio, gerando uma dependência dessa empresa. Além disso, o E-2 não se transforma em Green Card.

Nesse sentido, o EB-5 é o que oferece maior liberdade: acesso ao Green Card rápido após a aprovação, permite que todos os familiares vivam e trabalhem nos EUA e dá ao seu portador a possibilidade de trabalhar em qualquer área de seu interesse, desde que esteja qualificado, pois não exige a participação na gestão do negócio que recebeu o aporte.

Leia mais sobre as vantagens e desvantagens dos vistos de investidor para os EUA

Processos para conseguir o Green Card: facilidades e dificuldades

A maioria dos processos para se obter um visto de residência ou Green Card nos EUA é demorado. E têm outro problema: a concorrência! O país concede apenas um número limitado da maioria dos vistos, e essa é uma das principais razões de processos negados.

É o que acontece frequentemente com solicitantes do H1B. Para obter esse visto, a empresa sponsor deve entrar com o processo de solicitação em fevereiro, arcando com todas as despesas (é ilegal que o profissional pague). Uma vez aprovado, a permissão para trabalhar vale apenas a partir de 1º de outubro. Só que há um limite de aprovações anuais, incluindo todos os países. E, uma vez obtido, o processo deve ser repetido todos os anos, até que a empresa contratante entre com a solicitação para o Green Card.

Situação semelhante acontece com o L1, que depende ainda do desenvolvimento da empresa sponsor para renovar o status dos seus executivos. Essa uma das maiores dificuldades da renovação: comprovar que as metas estão sendo atingidas. Por isso, o 1º é um dos mais difíceis de ser renovado, com taxa de aprovação de apenas 20%. Como o processo para o Green Card pode ser demorado, as renovações são o ponto mais crítico desse processo.

O visto de noivos, K1, tem a vantagem de poder ser concedido a qualquer momento. O Green Card definitivo exige que o casamento com o cidadão americano dure pelo menos 3 anos. Mas atenção: nem pensar em forjar um casamento! Além do risco de deportação permanente, você tem um vínculo com um cônjuge, o que pode causar sérios problemas caso a pessoa se envolva em qualquer situação ilegal.

Já o EB-5 também tem cotas de concessões, mas elas são separadas por países. E a boa notícia é que o Brasil nunca atingiu o limite dessa cota – em outras palavras, não há filas e lista de espera para brasileiros, por isso, o processo é relativamente rápido para conseguir o Green Card, que vem automaticamente para o solicitante e família após a aprovação.

A maior dificuldade do EB-5 é um plano de negócios dentro dos requisitos do programa, e que comprove a geração de empregos locais. Nesse sentido, procurar a assessoria de um centro regional sério é a melhor maneira de chegar à aprovação.

Saiba tudo sobre o processo do visto EB-5.

No Comments

Post A Comment