fbpx
 

Entenda os diferentes vistos de investidor para os EUA

Você quer morar legalmente em um país que tenha um mercado estável e forte como os Estados Unidos, mas continuar atuando no seu mercado atual, inclusive com operações no Brasil? Isso é possível! Os vistos de investidor são excelentes opções para o seu caso.

A vantagem de ter um visto de investidor dos EUA é o visto de residência extensivo à família e que, em muitos casos, pode se tornar permanente. Alguns deles permitem que você se dedique ao seu trabalho atual, sem se comprometer com a gestão do negócio que recebeu o capital ou depender de empresas ou instituições de ensino como patrocinadores (sponsors).

Há três tipos de vistos de investidor para os EUA – EB-5, L1 e E-2 – cada um com suas vantagens e limitações. Conheça mais sobre cada um deles:

Visto EB-5: aportes diretos ou indiretos nos EUA

Esse tipo de visto é um dos mais comuns por ser uma das formas mais rápidas de obter o visto permanente ou a própria cidadania americana – nesse caso, podendo viver no país por tempo indeterminado. A residência permanente é extensiva à família. Veja as vantagens de se tornar um cidadão americano.

Para entrar no Programa EB-5, é preciso fazer um aporte em um novo negócio nos Estados Unidos, comprovando a geração de empregos locais. Esse aporte pode tanto ser feito de forma direta quanto por Centros Regionais – empresas autorizadas a oferecerem projetos EB-5.

No primeiro caso, o aporte mínimo é de US$ 500 mil ou US$1 milhão (dependendo da locaização do empreendimento) e o aplicante tem responsabilidade na gestão do negócio. Entretando, com o aporte através de Centros Regionais, o valor a ser aplicado é o menor – hoje fixado em US$ 500 mil – e é o único tipo de visto que permite ao aplicante morar em qualquer lugar do país e se dedicar a outros trabalhos, terceirizando a gestão da empresa que recebeu o capital pelo próprio Centro Regional. Entenda como funciona o Programa EB-5. 

Vantagens:

  • é o caminho mais rápido para obter a cidadania americana;
  • a residência permanente é extensiva aos familiares  diretos (cônjuge e filhos solteiros menores de 21 anos);
  • as regras e valor de aporte são claras;
  • alto índice de aprovação;
  • sem vínculo de trabalho ou gerenciamento com uma empresa específica ou sponsor, permitindo liberdade de exercer outro trabalho no país.
  • filhos e cônjuge podem trabalhar e estudar nos EUA livremente

Limitações:

  • valor inicial do aporte é mais alto do que outros programas;
  • necessidade de se encontrar um Centro Regional sério

Visto L1 – transferência temporária

Esse é um visto de “transferência”, em que o capital aportado vem da empresa, e não da pessoa que recebe o visto.

O visto L1 foi criado para estimular que multinacionais invistam em uma subsidiária americana, e é concedido a membros da gestão da empresa, com conhecimentos especializados, para que eles possam administrar essa subsidiária. O visto é temporário, renovável, mas também pode ser um caminho para o visto permanente.

No entanto, esse tipo de visto é vinculado apenas à empresa patrocinadora (sponsor), e não permite que o seu portador troque de trabalho nos Estados Unidos. Além disso, é necessário comprovar aportes substanciais na subsidiária americana, assim como o vínculo do profissional, que deve ser funcionário da empresa há pelo menos 1 ano.

Pode ser considerado um visto de investidor porque, hoje em dia, um dos requisitos é que a empresa faça um plano de aportes substancial na operação nos Estados Unidos comprovando a operação local contínua com instalações, fotos, sites, e outros. A renovação do visto depende da comprovação dos detalhes do plano, como aporte realizado, criação de postos de trabalho local e receita gerada pelo negócio.

Vantagens:

  • quando renovado, é possível pedir visto permanente extensivo aos familiares;
  • é aprovado com facilidade na primeira vez;
  • o aporte não precisa ser totalmente aplicado no início do processo;
  • o capital vem de pessoa jurídica, não física.

Limitações:

  • Pode ser renovado por, no máximo, 7 anos;
  • a operação nos EUA tem que ser grande e contínua o suficiente para justificar a presença do executivo;
  • dependente da empresa patrocinadora (sponsor) e é cancelado se esse contrato for terminado;
  • renovação difícil (20% de aprovação);
  • o montante final aportado pode ser mais alto do que outros vistos.

Visto E2 – opção para quem tem dupla cidadania 

Esse é um tipo de visto específico para cidadãos de países que mantém um tratado de comércio e navegação com os EUA. Como não é o caso do Brasil, só é possível considerar esse visto se você tiver dupla cidadania em países como Espanha ou Itália.

Para obtê-lo, é necessário fazer um aporte substancial em um negócio nos EUA. Não é claro o valor mínimo, mas geralmente em torno de US$ 100 a US$ 150 mil costuma ser suficiente. O visto é emitido por dois anos, renováveis.

Vantagens:

  • valor de aporte mais baixo (US$ 100 a US$ 150 mil);
  • taxa de aprovação alta (70%);
  • simplicidade no processo.

Limitações:

  • apenas pode ser obtido por quem tem cidadania de algum dos países que têm o acordo com os EUA (como Espanha, Itália e Alemanha);
  • visto E-2 não pode ser convertido em Green Card;
  • filhos que completarem 21 anos de idade precisam de um outro visto para que possam permanecer no país;
  • exige necessariamente participação na gestão da empresa que recebe o aporte, não permitindo ao aplicante ter outro trabalho no país.

A LCR Capital Partners é uma empresa especializada em Processos EB-5. Para saber mais sobre este tipo de visto, entre em contato e receba um material exclusivo!

No Comments

Post A Comment